terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Os frutos dos pais nos filhos


Entre as expressões comportamentais da adolescência, a mais significativa é aquela em que essas criaturas começam a revelar ao mundo os frutos daquilo que foi plantado em seus corações durante os longos anos que antecederam esse início de juventude. Eles serão como verdadeiros espelhos refletindo a imagem de seu criador. É magnífico vermos adolescentes demonstrando a beleza da educação que receberam de seus pais. Os bons modos, o apego às virtudes e um bom domínio da sabedoria, frutos daquilo que seus pais lhes presentearam durante o convívio com eles. Tais frutos sinalizam, pois, que suas almas foram bem iluminadas, devendo, portanto, esses filhos ampliar as coisas belas que receberam. Por outro lado, é igualmente triste vermos tantos adolescentes espelhando um caminho inverso ao de uma bela alma. Por esse motivo, caros pais, tenham sempre ânimo (alma) para bem cultivar vossos filhos, os quais que lhes foram entregues pela Divina Providência. Sejam magnânimos (almas grandes), pois vocês estão construindo uma história que um dia será julgada pelo Deus Todo-poderoso.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Lançamento do livro "Teoria e Tradição da Guerra Justa: Do Império Romano ao Estado Islâmico"


Um presente para os católicos que amam a História da Tradição!



Tenho a grandíssima honra de postar neste blog, uma grande e tão esperada notícia: lançamento do livro Teoria e Tradição da Guerra Justa: Do Império Romano ao Estado Islâmico, do meu amigo Pedro Erik. Não poderia deixar de fazê-lo, pois esta era uma promessa que havia feito a mim mesmo, desde que o próprio autor me falara que estava trabalhando em seu livro, bem como me passado informações valiosas sobre o mesmo.


Infelizmente, não faço parte do círculo intelectual deste nobre cristão (ao menos por enquanto), mas tomei conhecimento de sua existência através do seu famoso blog
thyself o lord. E isso não é pouca coisa! Não. Pelo contrário: é muito gratificante. Já me comuniquei com ele várias vezes por e-mail e sempre fui bem atendido e bem respondido. Suas palavras e amplo conhecimento sobre fatos contemporâneos importantes (da Igreja ou secular) me foram de grande ajuda.

Parabenizo-o por mais esta etapa de seu crescimento espiritual e intelectual; e o faço com grande alegria e coração explodindo de felicidade. Abaixo, segue um trecho da Introdução e da conclusão, que o próprio autor publicou em seu blgog.
“Nos dias de hoje, pacifismo é geralmente associado a uma posição radical contra guerras, que é própria do que se chama de movimento hippie. Se a pergunta implica pacifismo nesse sentido, a resposta é negativa. A “Paz de Cristo” não se confunde com o antimilitarismo dos hippies, assim como o amor de Cristo não se confunde com o “free love” da liberdade sexual propagada por eles. O próprio Cristo esclareceu isso ao distinguir claramente a paz dele da paz do mundo, quando disse a seus discípulos: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá” (João 14,27).

Mas alguns podem imaginar que a resposta para a pergunta acima deveria ser afirmativa, uma vez que desde 1965 quando o Papa Paulo VI disse na Assembleia Geral da ONU: “Guerra nunca mais, nunca mais guerra”, usando como base um discurso do presidente americano John Kennedy (que não é renomado por seu pacifismo durante seu mandato), os papas seguintes mencionam o mesmo apelo: “Guerra nunca mais”. Certamente este apelo faria parte de uma manifestação hippie. Também pode-se considerar as várias vezes que papas pediram o banimento total das armas nucleares ou fim do comércio de armas....

A teoria da guerra justa é altamente valorizada no meio acadêmico e mesmo no meio político, mesmo por aqueles líderes que não são conhecidos por seguir os preceitos dessa teoria. Por exemplo, o presidente Obama, que continuou as guerras de seu antecessor e usa aeronaves não tripuladas (drones) para matar terroristas que por vezes também matam civis, quando recebeu o Prêmio Nobel da Paz, no seu primeiro ano de mandato, fez elogios aos preceitos da teoria da guerra justa cristã. Ele reconheceu a importância do conceito de guerra justa “feita por filósofos, clérigos e homens de estado”, que estabeleceu os critérios para se fazer guerra e mencionou parte desses critérios. E ainda falou, com pesar, que esses critérios não são observados muitas vezes.

No meio acadêmico é muito comum observar exaltações à teoria da guerra justa. Coates (1997) afirmou que a tradição da guerra justa não é apenas uma tradição entre muitas, ela é a tradição dominante intelectualmente quando se trata de moralidade da guerra. Segundo ele, a guerra justa cristã tem monopolizado o debate sobre a moral de guerras, pelo menos no que diz respeito ao Ocidente. Russell (1975) declarou que a guerra justa apresenta um conjunto de premissas e suposições que são correlacionadas e formam uma importante parte da história política e intelectual da civilização ocidental. Corey e Charles (2012) argumentaram que a tradição da guerra justa é a única estrutura que oferece uma linguagem rica, um conjunto de categorias e conceitos desenvolvidos em séculos de reflexão, no qual a moralidade da guerra deve ser examinada. 

A abordagem da guerra justa também é popular....








sábado, 12 de novembro de 2016

Umbará, nosso bairro.



Nosso bairro como sala de aula

Uma semana atrás, resolvi levar os meninos para conhecer o bairro onde vivemos, Umbará, localizado nos limites de Curitiba e a cidade de Fazendo Rio Grande. Curiosamente, este bairro está separado desse município pelo famoso rio Iguaçu .

Infelizmente, o nosso belo Iguaçu foi muito prejudicado pelas indústrias locais e por falta de políticas ambientais que visassem a preservação de uma área maior de suas margens.

Como eu já desconfiava que meus filhos nada sabiam sobre esse belíssimo afluente do grande Rio Paraná, reservei um dia da semana para conversar sobre o assunto com eles. Nosso passeio foi duplamente gratificante: conhecemos melhor nosso bairro e estudamos a geografia natural dele. Acho que essa minha atitude é rara, mas não totalmente iimpraticável: creio que há muitas famílias praticantes de homeschooling que fazem o mesmo.
Houve um tempo em que a educação ofertada pelas escolas em geral incluíam tais atividades em suas rotinas. Mas os tempos são outros: o esquerdismo avançou tanto sobre nossa sociedade que roubou das crianças seu direito se apropriar das belezas de onde vivem. Aos poucos o sistema esquerdista de ensino de nosso país vai transformando as crianças deste país em alienígenas em seus próprios bairros, onde elas nasceram, viveram e cresceram. Evidentemente, muitas famílias cristãs (católicas ou evangélicas) tem certa parcela de culpa nesse triste quadro. Que Deus tenha misericórdia de nós.
A fim de registrar este nosso dia, seguem abaixo algumas fotos que fiz questão de produzir.
 
vista parcial da Paróquia de São Pedro do Umbará


vista panorâmica do bairro: ao fundo a Paróquia de São Pedro do Umbará.

Paróquia vista de frente.

Fachada principal da Paróquia..

A paróquia vista dos fundos

Vista parcial da paróquia a partir da av. Nicola Pelanda.


Os meninos brincam no bosque da paróquia (fundos).

Capela de São Sebastião.

paróquia vista da av. Nicola Pelanda.




os meninos brincam no jardim da capela de São Sebastião.
nas margens do rio Iguaçu.


a pequena galinha d'água, espécie de ave comum do rio Iguaçu.

ponte que liga Fazenda Rio Grande ao bairro do Umbará.

Rio Iguaçu ao fundo.








Praça de Nossa Senhora de Fátima: pausa para uma 'Ave Maria'.